Como gerar empregos em Jaguapitã?


O comerciante Gerson Marcato alertou para a dificuldade na geração de empregos na cidade de Jaguapitã. Entre os problemas está o descaso com o Parque Industrial Ana Trapp, construído na gestão do ex-prefeito Luiz Carlos Trapp (2005/2012).

Após sete anos de abandono, o local não possui rede de esgoto, o que dificulta a instalação de novas indústrias. As que estão instaladas lá, utilizam o sistema de fossa para atender a demanda. O abandono fica evidente em ruas cobertas de mato, bueiros tampados e água de chuva causando erosão ao local.

Por incrível que pareça, mesmo sem ter rede de esgoto, é cobrada a taxa de esgoto das indústrias instaladas no local. Na época foram investidos pelo ex-prefeito Luiz Trapp, a quantia de cerca de R$ 180 mil, com recursos do Paraná Cidade. Foram abertas as ruas, executadas as galerias pluviais, meio fio e implantada a energia elétrica. As galerias deveriam ter tido uma solução de continuidade pois necessitava apenas da construção de um dissipador ou caixa de retenção.

O Parque Industrial possui 34 lotes e alguns ainda estão vazios, pois os empresários tem dificuldade em construir num local que ainda falta infraestrutura.

Segundo Gerson Marcato, “é preciso uma solução urgente para aquele local. Iremos buscar exemplos de cidades que possuem leis de incentivo à industrialização aqui na região. Cidades como os municípios de Sabáudia, Rolândia, Arapongas, Ibiporã, entre outros. Não é vergonha copiar onde está dando certo. O emprego é a primeira necessidade do município. Precisamos dar emprego digno, ter respeito com o trabalhador. Fizemos uma pesquisa e a criação de empregos estava em primeiro lugar. Antes mesmo da pesquisa a gente já sabia dessa necessidade, tínhamos essa visão. Estamos felizes com os empregos que existem na cidade, mas é preciso gerar mais (empregos). Seremos parceiros das industrias que estão instaladas aqui, precisamos delas. Com o emprego, fortalecemos o comercio. É uma engrenagem. Quando uma peça se movimenta, as outras também se movem”, explicou.

Segundo Marcato, “é preciso diversificar. Trazer novas indústrias e fortalecer as atuais. Precisamos também procurar agregar valores às indústrias de alimentos com base na produção do setor avícola, como alimentos congelados à base de frango, ração animal, gelatina, empanados. Isso gera emprego, gera renda e as indústrias vão faturar mais. Quando o mais simples, o mais básico não é feito, dá nisso: O abandono do nosso parque industrial. Uma pena”, lamentou.

O comerciante Gerson Marcato apresenta proposta para a industrialização de Jaguapitã.
O que era para ser uma boca de lobo transformou-se em matagal.
Muitos terrenos ainda estão vazios. Empresários tem não investem por falta de infraestrutura. Construções, ferro velho, matagal e descarte irregular são vistos por todo parque.
Ruas com visível falta de manutenção.


Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>