Saae de Sertanópolis finaliza Estação de Tratamento do Setor Leste


As instalações do Setor Leste estão concluídas e encontram-se em fase de testes. Já não há mais falta d’água nos bairros próximos. Segundo a administração, “sistema irá garantir água potável pelos próximos 20 anos”.

Um dos maiores problemas durante o ano de 2017 em Sertanópolis foi a dificuldade no abastecimento de água em

determinados bairros da zona leste da cidade. Bairros como Jardim Casagrande, Aurora, Paraíso e proximidades da região passaram por dificuldades.

O problema era ainda maior nas residências onde não havia reservatório (caixa d’água), utilizando apenas a água da rua. Com o elevado consumo, nas horas de pico, faltava água, deixando os consumidores estressados. O problema na verdade já vinha se arrastando há muitos anos e as administrações anteriores falaram muito, mas não fizeram nada para melhorar a distribuição na região que mais cresceu na cidade nos últimos anos.

Segundo informações, um dos maiores problemas foi a baixa arrecadação do Saae, que impossibilitava o investimento necessário para resolver o problema. Sem medo, o Prefeito Tide procedeu um aumento significativo na tarifa de água, para possibilitar que a autarquia tivesse caixa suficiente para investir na solução do problema.

Segundo Tide Balzanelo, “foi a maior obra da administração em 2017. Foram investidos 1,2 milhão de reais, com recursos próprios do Saae, além do aporte financeiro da Prefeitura. Acreditamos que não voltará a dar problema pelos próximos 20 anos. Naquela região à noite tinha água, mas como o consumo era alto nos horários de pico, faltava água nas residências que não tinham caixa d’água. Pegamos o Saae com uma dívida de R$ 500 mil. O que arrecadava não era suficiente nem para pagar as despesas. Deixaram de fazer reajustes, que foram se acumulando. Pagamos a dívida e fizemos um estudo para que o Saae fosse autossuficiente e tivesse recursos para investir. Recebemos muitas críticas, pois ninguém gosta de pagar mais. Hoje dá pra ver o resultado”, concluiu.

O diretor operacional do Saae, Jurandir Natalino Martins, o popular Didi explicou que foi feito para solucionar o problema. “Perfuramos quatro novos poços, com vazão total de 130 mil litros/hora. Foi construída uma caixa de recalque com capacidade para 250 mil litros, que irá bombear água numa adutora com canos de 200 mm, num percurso de 1.700 metros de distância, até o reservatório principal, com capacidade de 550 mil litros. No local foi construída uma estação automática de tratamento, pelo processo hidrogel e o sistema já está interligado na rede de abastecimento. Todo sistema está passando por testes e a falta d’água já não ocorre mais”, comemorou.

A nova estação de tratamento de água do Setor Leste deverá ser inaugurada em definitivo nos próximos dias, após o período de testes. Segundo Didi, “os testes são necessários para verificar se não há vazamentos, dimensionamento do sistema automático e mais uma série de informações importantes para dar confiabilidade à nova estação”, completou.

Futuramente, o local irá abrigar um posto de atendimento ao público, evitando que os consumidores dos bairros próximos tenham que se deslocar até a sede do Saae, que fica na Av. 06 de junho.


Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>