Entrevista Especial: A mulher na política

O Jornal da Cidade resolveu mostrar algumas pré-candidatas mulheres de Sertanópolis, para saber o que pensam e como pretendem exercer seus mandatos, caso sejam eleitas. Convidamos várias candidatas e enviamos as perguntas através de um aplicativo de mensagens para evitar contato, devido a pandemia. Infelizmente, até o fechamento desta edição, algumas não retornaram.

Acreditamos estar prestando um serviço de utilidade pública, levando ao público as ideias, os ideais e o perfil de algumas pré-candidatas. Confira:

A primeira que respondeu a nossas perguntas foi Cristina Dias de Souza. Ela tem 43 anos, é casada e mãe de um filho. Nasceu na Água do Cerne, é formada em Ciências Contábeis e filha de Margarida Dias e Florisvaldo Gomes de Souza (Popular Flor). Trabalhou em várias empresas da cidade e atualmente é empreendedora autônoma. Filiada ao PTB, esta será a primeira vez que irá disputar uma eleição.

Cristina Dias de Souza

Segundo ela, “sou pré-candidata para poder ouvir a população sobre aquilo que possa ser melhorado na cidade. Prezo pela coerência de ideias, princípios e benefícios que irão atender as demandas da cidade, sempre buscando a inovação. Pretendo sugerir ao executivo que trabalhe com a questão do empreendedorismo feminino. Assim como eu, muitas mulheres precisam melhorar sua renda familiar. Hoje, muitas são líderes de família. Irei apoiar projetos que melhorem a qualidade de vida dessas guerreiras, principalmente as mulheres de baixa renda. Acredito na qualidade da educação, fator que forma o caráter de um indivíduo, podendo transformar a sociedade através de suas habilidades e competência. Com criatividade e inovação, podemos criar processos que nos levam a novas oportunidades de trabalho tornando a comunidade cada vez melhor. Irei sugerir a criação do aplicativo Meu Vereador, para atender as demandas da cidade, receber críticas, sugestões e reivindicações da população, além de servir como um canal de consulta nas votações mais polêmicas. Poderemos utilizar o aplicativo como forma de aprimorar a fiscalização, principal dever do vereador”, afirmou.

Outra pré-candidata é Mariana Gonçalves, solteira, 28 anos, formanda em Direito e servidora pública a 8 anos. É filiada ao PSD e essa é a primeira vez que se candidata a um cargo eletivo.

Mariana Gonçalves

Segundo ela, “a política sempre esteve presente em minha família. Minha mãe, Márcia Galindo foi candidata a vereadora. Acredito que, para mudarmos a realidade da política, devemos participar. Precisamos de pessoas que desejem fazer a transformação que a sociedade tem exigido. Estar na linha de frente, representando os jovens, os servidores públicos e as pessoas que almejam a mudança é o que eu desejo. Com minha pré-candidatura, pretendo dar continuidade ao trabalho que já cultivo, participando ativamente no desenvolvimento e crescimento de minha cidade. Vou procurar abranger toda a sociedade em meus projetos, com atenção especial às crianças e adolescentes. A causa da mulher é essencial para mim, pois sou mulher, servidora pública atuante e sempre apoiei a luta das mulheres na sociedade. A mulher sertanopolense sempre estará presente em minhas frentes políticas. Manterei aberto os meios de comunicação com a população e pretendo ouvir e entender seus anseios e necessidades para que meu trabalho seja o mais correto possível. Pretendo trabalhar com três frentes políticas principais: A causa social, a causa ambiental e as necessidades dos servidores públicos municipais, sem deixar de lado as responsabilidades inerentes ao cargo de vereadora, que são a fiscalização e a correta aplicação das leis em nossa municipalidade”, finalizou.

A pré-candidata Célia Rafaeli tem 58 anos, é casada com Claudinei Barbosa e tem dois filhos. Filiada ao PSD, é advogada e servidora pública municipal. Já foi vereadora e vice-prefeita.

Célia Rafaeli

Segundo ela, “entendo que estar no Legislativo aumentam as possibilidades de lutar por melhorias para nossa cidade. Hoje, a experiência e o conhecimento são meus grandes aliados. Minha área de atuação será sempre onde existir a necessidade de interferência do Legislativo para atender os anseios das pessoas. Pretendo, a exemplo de minha outra gestão, levar as reivindicações da população para o Executivo e procurar fazer o melhor pela nossa cidade. Com certeza bons projetos terão minha aprovação e a fiscalização será uma de minhas principais bandeiras. O vereador não pode muito, mas, se tiver vontade de trabalhar, poderá seguramente fazer a diferença. Quero aproveitar para agradecer ao Jornal da Cidade pela abertura desse espaço para nós, candidatas. Nestas eleições, devido a pandemia, a campanha será feita pelos meios de comunicação e o Jornal da Cidade teve uma bela iniciativa. Parabéns”, finalizou.

Outra pré-candidata é Natália Gomes Coutinho, 38 anos, casada a 12 anos, mãe de um menino de 6 anos. É manicure e atualmente está cursando a Faculdade de Educação Física e filiada ao PTB.

Natália Gomes Coutinho,

Segundo ela, “foi convidada para participar da política a três mandatos. Na época recusei, mas acho que hoje estou mais preparada e a par das necessidades da comunidade. Por isso, revolvi me candidatar e apoiar minha cidade. Um de meus projetos é trazer o esporte para mais perto dos jovens e adolescentes, com a utilização de quadras nos conjuntos, através de parceria com as escolas. Com os empresários e autoridades municipais, incrementar o Projeto do Jovem Aprendiz em nossa cidade. Sertanópolis precisa de emprego e formação profissional. Numa votação polêmica na Câmara, iria agir conforme meus princípios, pois, a partir do momento que o eleitor me escolhe para representa-lo, é porque sabe que sou capaz de tomar a melhor decisão pela minha cidade. Pretendo atuar na busca de projetos para jovens e adolescentes, como cursos e a colocação no mercado de trabalho” disse.

Vereadora de dois mandatos, Leila Pissinati é pré-candidata à reeleição. Fisioterapeuta formada pela UEL, é casada e está filiada ao PSD. Leila disse que possui alguns projetos em andamento e que gostaria de torna-los realidade.

Leila Pissinati

Segundo ela, “sempre foquei meus planos de trabalho na melhoria da qualidade de vida das mulheres, adultas, jovens e nos grupos da Terceira Idade. Junto com as mulheres e mães do Jardim Amâncio Secco, estamos lutando para seja construída uma creche e escola naquela região, pois é muito longe para as mães que ali moram e precisam trabalhar. Quando nos deparamos com um problema, o primeiro passo é conhecer a realidade. Devemos consultar a sociedade para acharmos o melhor caminho que sirvam a todos e não apenas aos meus eleitores. Nunca deixarei de lados meus princípios éticos e morais, pois nasci nesta cidade, aqui me formei e criei minhas filhas. Pretendo continuar andando sempre de cabeça erguida”, completou.

Também é pré-candidata, a Assistente Social, Leila Cristina Kurek Morcelli. Ela é formada pela UEL e possui pós-graduação nas áreas de família e políticas públicas. Tem 34 anos, possui uma filha, é servidora pública e filiada ao PSD.

Leila Cristina Kurek Morcelli

Segundo ela, “após sete anos trabalhando em Sertanópolis criei um vínculo forte com a cidade e sua população. Procurei trabalhar garantindo a todos os cidadãos, o acesso às políticas sociais. Por conhecer as necessidades da população, sou candidata a vereadora, para contribuir de maneira mais efetiva para que todos tenham acesso aos seus direitos sociais, rompendo com a cultura do assistencialismo na política. Precisamos criar projetos sociais para trabalhar o Empoderamento das mulheres e sua autonomia, não só nas questões públicas, mas também no âmbito familiar, no trabalho e nas relações sociais. Pretendo implantar ações cujo foco seja a geração do emprego e renda dessas mulheres, como cursos de capacitação e profissionalização, visando a inserção no mercado de trabalho formal. A criação de uma cooperativa de artesãs seria um grande passo para que elas possam empreender. Vou me pautar de acordo com meus princípios éticos e morais, como sempre agi em minha vida pessoal e profissional. Vou ouvir a população nas votações mais polêmicas e pretendo uma atuação sempre comprometida com as reais necessidades dos munícipes. Vou procurar dar prioridades às necessidades das famílias mais vulneráveis, levando em conta meu conhecimento sobre a realidade do município, em especial na área da renda e moradia. Pretendo fomentar ações na área da criança e dos adolescentes, criando estratégias para fortalecer o serviço de convivência, além de implementar ações de cunho profissionalizantes, como, por exemplo, a Guarda Mirim, devidamente adaptado para a atual legislação. Outra área é a geração de empregos. O desemprego causa um grande impacto social e psicológico na população. Na atual conjuntura política e econômica, não será fácil, mas podemos criar um plano de desenvolvimento municipal, criando estratégias para atrair empresas, além de promover a sustentabilidade das micro e pequenas empresas já existentes.

O Jornal da Cidade agradece a cada participante e lamenta não ter obtido o retorno de algumas delas. Leia com atenção e analise. Esta é uma forma do Jornal da Cidade colaborar com a sua decisão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *