Abstenções crescem na eleição com pandemia

Embora o Presidente do TSE, Luís Roberto Barroso tenha afirmado que “apesar da pandemia, as abstenções ficaram pouca coisa maior que em outros anos”, em alguns colégios eleitorais, principalmente nas grandes cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro, ultrapassaram o índice de 23%. Em 2018 foi de 20,33% e, em 2016 houveram 17,58% de abstenções. Além da pandemia, o que pode ter contribuído para o aumento do índice pode ser a decepção das pessoas com a classe política do Brasil, que vem frustrando a população, dia a dia, mais e mais vezes a cada ano que passa.

Em nossa região, a cidade com o maior número de abstenções foi Jaguapitã e a de menor abstenções foi Rancho Alegre, mesmo tendo sido uma das poucas cidades do Paraná com candidato único. Confira a tabela abaixo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *