Casos de covid e dengue explodem na região

No mês de janeiro, municípios da área de atuação do Jornal da Cidade, experimentaram um aumento expressivo nos casos de Covid-19 e dengue. O tempo chuvoso e quente é propício para a disseminação e criação do mosquito da dengue, o Aedes Aegypti. Mesmo com toda luta do pessoal das endemias, boa parte da população ainda não se conscientizou sobre a prevenção e os quintais se transformam em criadouros do mosquito.

Água parada, sujeira, entulhos, qualquer tampinha de garrafa que seja já é um foco de dengue. Caixas d’água destampadas, pneus, calhas, vasinhos de plantas, bebedouros de animais e mais um monte de coisas podem servir de criadouros do mosquito, que se reproduz rapidamente e pode voar até 300 metros de onde nasceu.

Outro quadro preocupante é o aumento de casos de Covid-19, até mais sério que a dengue. A principal forma de evitar a contaminação também é a prevenção. Nesse caso, é importante evitar aglomeração, usar máscaras faciais, lavar as mãos com água e sabão e, quando não for possível, utilizar o álcool em gel ou o álcool 70º.

Até o momento, não há outra forma de prevenir. A vacina virou uma politicagem e as autoridades demoraram muito para tomar uma providência. Algumas vacinas já chegaram, mas não em número suficiente para atender a todos na primeira fase que seriam os principais grupos de risco, como o pessoal da linha de frente da saúde, policiais, bombeiros, idosos acima dos 60 anos e pessoas com comorbidades. O ideal seria a vacinação em massa para atingir o maior número de pessoas em todos os municípios do Brasil.

Confira no quadro os índices de disseminação do Covid-19 nos municípios de circulação do Jornal da Cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *