Flexibilização do uso de máscaras não significa que a pandemia acabou

O Governo do Paraná, através da Secretaria de Saúde, flexibilizou o uso de máscaras no estado. O documento complementa o decreto que tirou a obrigatoriedade do uso de máscaras em espaços abertos e para crianças menores de 12 anos.

Ambientes abertos são aqueles que não são delimitados por paredes, divisórias, com ampla ventilação de ar natural. Um exemplo são as praças, parques, ciclovias, calçadas públicas, estádios, quadras poliesportivas em áreas externas de escolas, condomínios e clubes, entre outros similares.

Já espaços fechados são aqueles delimitados por pareces, onde a ventilação natural é restrita a aberturas ou realizada de forma mecânica. Como exemplo estão estabelecimentos comerciais, escritórios, transporte público, lojas, galerias, shoppings, templos, entre outros similares.

As máscaras devem ser utilizadas por indivíduos que apresentem sintomas de Covid-19, devendo usar máscaras em todos os locais. O uso também é obrigatório em contato com pessoas imunosuprimidas, no acesso e atendimento nas instituições hospitalares por funcionários, pacientes e visitantes, em instituições de longa permanência e outros ambientes com características que justifiquem sua necessidade.

Para o público infantil, até os 12 anos de idade, o uso de máscara é facultativo em ambientes abertos e fechados, a partir da decisão dos pais ou responsáveis. O uso em crianças com idade menor que 6 anos é desaconselhável por não conseguirem utilizá-la de forma adequada sem supervisão.

A Sesa também não recomenda o uso em ambientes fechados para pessoas com transtorno de espectro autista, deficiência intelectual, deficiências sensoriais ou com quaisquer outras particularidades que impeçam o uso de máscara de proteção facial adequadamente. Apesar da opção individual em espaços abertos, a Resolução orienta como recomendável o uso do acessório em ambientes que tenham alta incidência de pessoas, como shows e eventos esportivos. O texto indica ainda o uso por pessoas com algum tipo de risco, como idosos, gestantes ou puérperas. Também são necessários outros cuidados, como a higienização constantes das mãos, limpeza e desinfecção de espaços compartilhados, além de reforçar que a vacinação é a principal estratégia de prevenção. Todos devem receber as vacinas recomendadas para a faixa etária e as carteiras de vacinação devem estar sempre atualizadas.

No Paraná, quase 80% da população está com a cobertura vacinal completa (duas doses) e mais de 3,7 milhões de pessoas receberam a dose de reforço. Também houve a redução no número de mortes e casos mais graves da doença. A média móvel de casos e de mortes caiu 56% em relação há duas semanas. A ocupação nas UTI’s está em 34% e a taxa de transmissão é de 0,92, com tendência de queda. Porém os bons números não significam o fim da pandemia. Devemos continuar nos prevenindo, com bom senso e muito cuidado. Sempre que tiver dúvida, use máscara.

O uso em locais abertos foram flexibilizados, mas em locais fechados não é facultativo e deve ser seguido a regra do estabelecimento. Lembrando que pessoas não vacinadas tem maiores riscos de evolução da Covid para casos graves.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.