Nicinho deixa estudantes a pé em Florestópolis

O prefeito de Florestópolis, Onício de Souza, vulgo Nicinho, cortou o benefício dos estudantes que vão para Londrina, deixando todos à pé. Em seu programa de governo, o então candidato Nicinho dizia que iria “manter o transporte gratuito e com qualidade para os universitários”. Essa promessa está no seu programa de governo, no item 4: Educação e Cultura.

Porém, Nicinho não cumpriu o prometido. Cortou o transporte de estudantes para os centros maiores, alegando que “o acidente ocorrido em 2014, devido as indenizações, teria inviabilizado o repasse de recursos”.

Primeiro, o acidente ocorrido em 2015 foi ocasionado por um ônibus da Prefeitura, portanto, teria que arcar com as consequências. Era um ônibus da Secretaria de Saúde, que se envolveu num grave acidente, matando três pessoas e deixando outras 45 feridas. O Diretor Administrativo do Hospital Santa Branca, que estava entre os passageiros, contou ao Jornal de Londrina que “foi um cenário de desespero”. Segundo informações do jornal, o ônibus da Secretaria de Saúde durante o dia servia para o transporte de passageiros para tratamento, consulta e exames de saúde em Londrina. O veículo, do ano de 2002, teria sido adquirido no Rio de Janeiro e os bancos são de plásticos, pois se trata de um ônibus de transporte coletivo, bem simples. Esse tipo de ônibus somente deveria circular no perímetro urbano.

O acidente ocorreu no dia 30 de junho, na PR 537 e, no momento, chovia muito. O motorista teria se assustado com um galho de árvore tombado na pista e acabou invadindo a pista contrária, perdendo o controle e tombando sobre um veículo Gol. Faleceram o motorista do Gol, Dirceu Gomes dos Santos e o passageiro, Cláudio Sena. No ônibus, a vítima fatal foi Rafael Furini, de 24 anos, que teria sido ejetado para fora, pois não havia cintos de segurança.

Na época, o Prefeito Onício de Souza não quis dar declarações aos jornais e TVs. Preferiu não se pronunciar, pois segundo a Assessoria Jurídica, “estaria abalado com o acidente”.

A Delegacia Civil de Porecatu confirmou que o ônibus da Prefeitura de Florestópolis tinha ao menos um problema detectado: A falta de cintos de segurança. Após a apuração do caso, a Prefeitura de Florestópolis teria sido condenado a indenizar os mortos e feridos. Esta seria a alegação do prefeito para não continuar pagando o ônibus para os estudantes, que estão revoltados.

A Câmara Municipal tratou do assunto, de suma importância para a comunidade. Alguns vereadores da base da situação, mostraram-se contrários à ajuda transporte de apenas R$ 150, por mês, como pretende o prefeito. Um dos requisitos é que o estudante não tenha débitos com o município de Florestópolis. Ou seja, pague primeiro para receber depois. Na sessão, haviam apenas duas pessoas assistindo. O vereador Billy achou pouco o repasse. Já o vereador Thunay disse que o repasse não paga nem o combustível. O vereador Silvio (Biba) disse que alguns estudantes podem parar, caso não seja encontrada uma melhor situação. A vereadora Adriana disse que, “durante muitos anos pagou e agora não pode mais? A arrecadação aumentou e, mesmo assim não tem dinheiro? Onde está indo o dinheiro de Florestópolis? ”, indagou.

Memes circulam nas redes sociais em vídeo onde o então candidato Nicinho afirma e reafirma que os estudantes continuarão recebendo ônibus de graça. Numa dessas, se a eleição fosse hoje…

Nicinho, prefeito de Florestópolis fez promessa de campanha, mas não cumpriu; Cortou o transporte dos estudantes de Florestópolis para Londrina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *