Ex-assessor jurídico é absolvido

A Câmara Municipal de Primeiro de Maio acusou o ex-assessor jurídico, Claudio Munhoz, sobre a utilização indevida de diárias, em 2016. Apenas três anos depois, a Câmara apresentou denúncia contra Munhoz, em represália por publicações feitas pelo advogado criticando a conduta de parte dos vereadores da atual legislatura.

Segundo a denúncia, Claudio Munhoz teria utilizado R$ 1.140,00 em diárias, para uma viagem a Curitiba – lembrem-se que os mesmos vereadores que denunciaram Cláudio foram condenados a devolverem as diárias retiradas irregularmente. Na ocasião, o assessor teria comparecido ao Gabinete do Deputado Pedro Lupion para tratar de assuntos que seriam atribuição dos vereadores – que não o fizeram. Na mesma viagem, Cláudio também compareceu no Tribunal de Justiça do Paraná para atuar em Ação Judicial em que a Câmara de Primeiro de Maio era parte requerida. O comparecimento ao Gabinete do Deputado e ao Tribunal de Justiça foram comprovados e as diárias foram justificadas.

A Promotoria de Justiça de Primeiro de Maio expediu a Recomendação Nº 01/2019, nos autos do Inquérito Civil Nº MPPR 0115.17.000249-3, para acabar com a farra das diárias protagonizadas por vários vereadores da Câmara que viajam em excesso.

Diante da ausência de justa causa e fundamento, o Ministério Público arquivou a denúncia. Segundo Cláudio Munhoz, “a viagem que realizei em 2016 foi para representar a Câmara perante o Tribunal de Justiça e para solicitar a restauração da Rodovia de Primeiro de Maio a Sertanópolis, uma obra que acabou sendo realizada. Portanto, a viagem foi um sucesso, ao contrário de vereadores que foram à Curitiba bater palmas para seus deputados, usando dinheiro público. Eles tiveram que devolver. Sempre tive minha consciência limpa perante Deus. No parecer, a Promotoria relatou que eu não tinha obrigação de prestar contas da viagem, mas, mesmo assim, apresentei todos os comprovantes das despesas da viagem. Fui com carro próprio e consegui resultados. A Justiça foi feita”, disse aliviado.

Claúdio Munhoz foi assessor jurídico da Câmara de Primeiro de Maio. Ele denunciou o uso irregular de diárias de alguns vereadores, que acabram condenados. Em represália, foi denunciado pelos vereadores que denunciou, mas, acabou absolvido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *