Grupo de vereadores dificulta a administração em Primeiro de Maio

Alguns vereadores (a maioria), tem criado dificuldades extremas para o Executivo de Primeiro de Maio. A gestão anterior também deu muito trabalho. Projetos emperrados, aprovações dificultadas, pagamentos suspeitos (muitos deles frutos de investigações do Ministério Público). Desvio da conta do Legislativo, carro furtado e muitas outras ações delituosas.

A população notou o que vinha acontecendo e fez uma limpa geral. Apenas um vereador foi reeleito (Pinguinha). Todos os demais foram execrados, mandados de volta para casa. Eles continuam respondendo aos processos e iremos divulgar assim que a Justiça for feita. Todos nós sabemos que ela tarda, mas não falta.

Pois bem: Com a grande renovação que ocorreu era de se imaginar que a nova legislatura iria trabalhar pelo bem do município. Ledo engano. As dificuldades começaram na escolha da presidência da Câmara. O vereador Chuchu queria ser o presidente. Porém, Vander Coelho (Limão), conseguiu articular e acabou se tornando o novo presidente da Casa.

Aí começaram as desavenças. Vereadores que haviam votado no Limão se rebelaram e a coisa desandou. Pedidos conflituosos e o ego de vaidade de Chuchu dificultaram as coisas. Não houve acerto e a Câmara de Primeiro de Maio acabou se tornando um vespeiro. Limão tem sido criticado pelos demais vereadores e acabou sobrando até para a Prefeita Bruna Casanova.

A dupla Gilmar Chuchu e Zé Oscar, passou a destilar todo seu ódio na prefeita, que não fez nada de errado. Procuram fazer de tudo para prejudicar e são acompanhados pelos demais vereadores: Diego Tódero (suplente de Pinguinha), Nena do Ônibus, Miltinho e Nivaldinho de Souza. Apenas Limão, Marilza e Lucas Renzi apoiam a administração. Eles não percebem que, ao tentar prejudicar a Prefeita, estão prejudicando também o município, uma vez que os projetos não andam, as leis demoram e a administração fica travada, de braços atados, com dificuldades para trabalhar.

No início do mês, uma prova da perseguição mortal promovida pelos vereadores Chuchu e Zé Oscar, com apoio de Diego Tódero, Nena e Nivaldinho (Apenas Miltinho Chapada se absteve de assinar): Abriram uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar (pasmem), uma reportagem publicada pela Folha de Londrina sobre a suspenção da aplicação de vacinas contra o Covid-19. Na reportagem, a informação é que o refrigerador onde se encontravam as vacinas teria tido uma oscilação de temperatura num final de semana. A Secretaria de Saúde entrou em contato com a 17ª Regional de Saúde e enviou os lotes para avaliação. Rapidamente as vacinas foram repostas e o lote foi analisado, chegando a conclusão que não houve dano quanto a eficiência das vacinas, muito menos atraso na vacinação. Por sinal, Primeiro de Maio é uma das cidades da região com o mais alto índice de vacinação.

Ou seja: As vacinas foram substituídas e não houve dano à população. Se o refrigerador teve avarias, trata-se de uma máquina, sujeita a problemas mecânicos e ninguém teria sabotado o lote de vacinas para prejudicar a população. Deveriam os vereadores solicitarem, na época, a imediata reposição do lote. Não o fizeram. Esperaram para agora, abrir uma CPI com a finalidade de cassar a prefeita, que não tem culpa nenhuma no ocorrido. Para se ver até onde chega a política de interesses de alguns políticos. O absurdo vai criar transtorno, será necessário apresentar defesa, envolver funcionários que poderiam estar cuidando de outros assuntos para atender dois vereadores que só querem dar trabalho, perseguir e prejudicar a prefeita e, por tabela, o município.

Uma pena que existam pessoas tão más, de índole leviana e interesseira, que não ajudam a cidade por picuinhas políticas. Esperamos que na próxima eleição, a população de Primeiro de Maio grave bem esses nomes: Gilmar Chuchu e José Oscar.

Vereadores Gilmar Chuchu e José Oscar, se escoram em pedidos de explicações ao executivo, tornando-se improdutivos no legislativo, sem resultados efetivos para a população. Foto: Reprodução da internet.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.