Iniciadas obras na Estação de Tratamento de Esgotos em Sertanópolis

No início de dezembro foi dada a largada para as obras da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) do Saae – Serviço Autônomo de Água e Esgotos em Sertanópolis. Faziam mais de 30 anos que eram feitas algumas pequenas melhorias, sem obras significativas. Agora estão sendo feitas estruturações importantes para melhorar o tratamento de esgoto do município. Os investimentos passam de R$ 2,5 milhões, com recursos da Prefeitura Municipal, Saae e Câmara de Vereadores. A obra já foi licitada e a ordem de serviço foi emitida, no último dia 06 de dezembro. O prazo para conclusão da obra é de um ano, caso não haja contratempo. Segundo Flávio Fantin, diretor do Saae, “acreditamos que fique pronto antes. Com essa readequação, o intuito é que o tratamento de esgoto da cidade seja melhorado, atingindo as exigências dos órgãos fiscalizadores, como o IAT – Instituto Água e Terra (antigo IAP), Força Verde e Ministério Público Estadual”, explicou.

Na entrada do esgoto será instalado um desarenador (um dispositivo que remove areia, pedras, materiais sólidos e abrasivos), permitindo a passagem apenas do esgoto. Esse material será depositado numa lagoa revestida com geomembrana PEAD, evitando o contato direto com o solo nas lagoas de decantação. No final, o material recebe uma desinfecção com tratamento à base de hipoclorito, reduzindo o mal cheiro dos efluentes

Segundo Fantin, “a expectativa é diminuir o mal cheiro, que talvez não acabe totalmente, mas haverá uma redução substancial. Porém o ganho ambiental será significativo. Estamos também estudando melhorias no recalque da Estação Figueira, solucionando o problema da Rua Minas Gerais. Assim que terminar a ETE iremos avançar para aquele setor”, confirmou.

Técnicos e diretores do Saae estiveram em vários municípios para conhecerem as melhores formas de tratamento superficial de esgotos, para cidades com quantidade habitacional próxima a Sertanópolis. Em todas ocasiões estavam acompanhados pelo pessoal do IAT estudando a melhor forma de solução para o problema.

O Saae está de parabéns, pois haviam muitas décadas que o problema existia, sem, no entanto, encontrar uma solução. Outro detalhe importante é a sinceridade e a transparência com que está sendo estudado o problema. Além da questão ambiental, extremamente importante, está a questão política, pois sem a decisão dos gestores municipais para resolverem o problema, não haveria solução. Esse talvez seja o grande problema no saneamento básico no país. Como essas obras não são visíveis (ficam embaixo da terra), não possibilitam a colocação de placas de inauguração e o meio ambiente é afetado, mas não tem voz para reclamar, muitos não tomam uma atitude definitiva para resolverem os problemas.

O primeiro passo foi a remoção de árvores exóticas (eucaliptos e grevilhas) para dar espaço à remodelação e revitalização da ETE – Estação de Tratamento de Esgotos), O problema existia a mais de 30 anos. A atual administração está executando obras necessárias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *