Giro Técnico da soja reúne produtores em Alvorada do Sul

No dia 17 de fevereiro aconteceu o primeiro Giro Técnico realizado na cultura da soja em Alvorada do Sul. O evento teve como foco a orientação dos produtores quanto ao manejo da sua produção para uma maior produtividade e rentabilidade, com o uso de boas práticas na lavoura, sempre buscando a sustentabilidade ambiental. O intuito do evento era para que os produtores adotassem boas práticas agrícolas.

O evento contou com a participação de cerca de 70 produtores rurais e foi realizado na propriedade do Sr. José Maria Romero e seus filhos, Rafael e Eduardo Romero, em uma unidade de referência, onde foram realizados trabalhos durante a safra. Os resultados foram compartilhados e as experiências e orientações técnicas dos pesquisares irão servir para o planejamento da próxima safra.

Nas estações técnicas foram feitas demonstrações da unidade de referência e o uso correto da inoculação, pelo Dr. André Mateus Prando, pesquisador da Embrapa Soja. Em outra estação foram apresentados os resultados do manejo integrado de doenças, pela Dra. Claudine de Nale Santos Seixas, também pesquisadora da Embraba.

Na terceira estação técnica, o manejo integrado de pragas deu ênfase no controle dos percevejos, com palestra do Dr. Adeney de Freitas Bueno. Na última estação, o tema foi tecnologia para aplicação de agroquímicos para redução da deriva e eficiência no alvo, pelo extensionista do Iapar/Emater, Evalto Tursi.

O evento foi realizado pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná, Iapar/Emater, Seab, Embrapa, Prefeitura de Alvorada do Sul, Faep, Senar, Sindicato Rural Patronal de Alvorada do Sul, Agribela, Simbiosi e as voluntárias da Ong Mãos que Ajudam.

Segundo Reinaldo Neris, “o grande objetivo do evento era para que os produtores visualizem os resultados na prática, adotando as orientações em suas lavouras, ampliando assim a produtividade e sustentabilidade ambiental”, explicou.

O projeto começou com apenas 25 produtores e hoje o número triplicou. Os produtores aplicam práticas de unidade de referência, manejo integrado de pragas e doenças, coletor de esporas, com objetivo de identificar o momento em que começar a aparecer a ferrugem da soja, evitando a aplicação de fungicidas de forma desnecessária. O coletor é uma parceria entre a Prefeitura Municipal, Emater e outros colaboradores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *