Prefeito tenta evitar pagar o piso salarial da nova lei

            Com a aprovação do Projeto de Lei 2564/2020 pelo Senado Federal, ficou instituído o piso salarial para os trabalhadores em enfermagem, técnicos e auxiliares de enfermagem. Conforme a proposta, o valor mínimo inicial será de R$ 4.750, a ser pago pelos serviços de saúde públicos e privados. Nos demais casos haverá proporcionalidade: 70% do piso dos enfermeiros para os técnicos em enfermagem e 50% para os auxiliares de enfermagem.

            Para evitar pagar o piso salarial integral, o Prefeito de Florestópolis, Onício de Souza, desconsiderou os cursos e progressões salariais a que tinham direito os trabalhadores e colocou a maioria dos funcionários como “auxiliar de enfermagem”. A categoria está insatisfeita e promete ir à forra para garantir seus direitos.

                Apresentamos nesta reportagem, dois holerites da mesma pessoa, mostrando, num holerite o registro como técnico em enfermagem e, no outro, como auxiliar de enfermagem. O projeto de lei ainda irá para sanção presidencial e deverá ser decidida até o dia 08 de agosto.

O Prefeito Onício de Souza tem evitado o pagamento do piso salarial da enfermagem, alterando o registro dos funcionários, conforme prova ao lado.

Holerites mostrando a manobra para não pagar o piso integral, previsto na nova lei. No primeiro vemos um registro como técnico em enfermagem e já no segundo está como auxiliar de enfermagem. Fonte Portal da Transparência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *