Câmara de Jataizinho cassa mandato de vereador

Após várias manobras, discussões e baixarias dos mais variados tipos, finalmente a Câmara de Vereadores de Jataizinho finalizou a sessão de julgamento de ato de quebra de decoro parlamentar contra o vereador Antônio Brandão.

Antônio Brandão foi denunciado pelo vereador Igor Sabará de Souza. Numa sessão de outubro de 2018, Brandão teria praticado ato que depõe contra a honra do parlamentar ofendido. Foi criada uma Comissão Processante, composta pelos vereadores Laércio Fernandes Quitério, Adir Leite de Lima e Jorge Pereira. A comissão deu parecer favorável à cassação de Brandão, uma vez que os xingamentos e ofensas foram consideradas graves, faltando com o respeito ao colega vereador.

Depois de muitas idas e vindas, finalmente foi marcada uma sessão extraordinária para a votação do parecer da Comissão. Durante todo processo de cassação, o vereador Toninho Brandão não apresentou defesa, não aceitou nenhuma convocação para comparecer e incluiu vários atestados médicos para justificar sua ausência nas reuniões da Comissão Processante. Uma sessão extra aconteceu no dia 09 de setembro. No entanto, o Presidente da Câmara, Maurílio Martielho (Bidu), aliado político de Brandão, interviu, criando inúmeras dificuldades para o julgamento em plenário. A sessão acabou em tumulto e foi suspensa. Durante a sessão, o Presidente solicitou ao vereador Cícero Aparecido Guimarães, que é motorista da saúde, a apresentação de um documento que justificasse sua presença no plenário, uma vez que a sessão transcorria às 14:00 horas, horário de trabalho de Cícero. O vereador motorista apresentou um pedido de ausência ao trabalho, devidamente assinada e aceita por seu chefe e superior. Bidu, no entanto, não se satisfez com o documento apresentado e exigiu que houvesse um “pedido de afastamento” do emprego, com firma reconhecida, antecedência prévia e mais um monte de exigências.

O pedido, considerado absurdo pela maioria dos vereadores, acabou esvaziando a sessão e os vereadores abandonaram o plenário, sem que fosse realizado o julgamento. Revoltado, Bidu deu andamento à sessão, justificando o voto dos vereadores que se retiraram como “ausentes”.

Nova batalha jurídica foi travada e a Juíza de Ibiporã afastou o Presidente da Câmara e transferiu a responsabilidade para o Vice-Presidente, Adir Leite de Lima. Nova sessão extraordinária foi marcada para o dia 24 de setembro. Com a destituição do vereador Maurílio Martielho da Presidência e a presença ostensiva da Polícia Militar, a sessão foi realizada, embora tenham ocorrido algumas provocações por parte do público presente e dos vereadores. O suplente de vereador Antônio Marcos da Silva tomou posse, já que o Vereador Igor era parte interessada e, pela lei, não poderia votar. Ofensas e muita baixaria foi a tônica, bem típica da Câmara de Vereadores de Jataizinho que, desde de 2013, tem sido alvo de críticas da população pela baixa qualidade do trabalho apresentado. Segundo alguns populares, a Câmara se preocupa apenas em brigar. Não trabalham pelo bem de Jataizinho”, disseram os populares.

Após a defesa de Alex Faria e Maurílio (Bidu), aliados de Brandão, o plenário finalmente julgou o parecer da Comissão Processante e acabou cassando o mandato pelo placar de 6 x 2. Agora, a Câmara comunicar a decisão ao Cartório Eleitoral, para que expeça autorização para a posse em definitivo do novo suplente. Devido aos tumultos provocados, os vereadores não descartam a possibilidade destituir do cargo do atual Presidente da Câmara, Maurílio Martielho. Vem mais brigas por aí.

Confira em detalhes vídeo e imagens da sessão de cassação, exclusivas do Jornal da Cidade:

https://jornaldacidade.net.br/camara-jataizinho-2/
Por 6 x 2, Câmara de Jataizinho cassou o mandato do vereador Toninho Brandão, que não estava presente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *