MP intervém e Câmara de Primeiro de Maio responde a jornal

O Jornal da Cidade entrou com pedido de informações na Câmara Municipal de Primeiro de Maio. Decorrido o prazo, a Câmara não apresentou nenhuma solicitação de dilação do prazo, nem respondeu aos questionamentos. O jornal fez uma denúncia ao Ministério Público da comarca que, solicitou a apresentação das respostas às demandas solicitadas. Imediatamente, após a intervenção do Ministério Público, recebemos as respostas de nossas consultas.

Ocorreu o furto de um veículo que pertencia à Câmara Municipal de Primeiro de Maio e as informações estavam desencontradas. É obrigação da mídia impressa, somente apresentar matérias de fontes confiáveis. De tal forma, solicitamos informações à Câmara.

No dia 30 de agosto de 2019, o carro da marca Toyota, modelo Corola XE120, placas AZT 7633, de cor cinza, foi furtado na Rua Piauí, 191, em Londrina. O carro voltava de um compromisso em Curitiba e era dirigido pelo advogado da Câmara, Edmar Colovi. O carro ficou estacionado na rua, defronte o prédio do advogado. A noite, o veículo foi levado e, posteriormente recuperado pela Polícia Civil do Mato Grosso do Sul. O carro foi encontrado em setembro de 2019 e devolvido aos proprietários em 06 de novembro de 2019. Devido a burocracia da seguradora e da Polícia Civil, nos trâmites legais, o carro voltou à circulação no final de fevereiro de 2020.

Uma informação simples, que poderia ter sido feito de imediato, sem a necessidade de protocolar um pedido, solicitar intervenção do Ministério Público, para depois obter a resposta. Uma pena que a Câmara de Primeiro de Maio não dê ouvidos à imprensa, sendo necessária uma verdadeira função para se obter informações. Esperamos que, nas próximas vezes que necessitarmos de informações que as mesmas sejam disponibilizadas de imediato, sem a necessidade de toda essa mão de obra.

Acreditamos que a diretoria da Câmara de Primeiro de Maio já deve ter conhecimento que a informação deve ser pública e que a imprensa não mede esforços para obter o acesso. Esperamos que tenham aprendido a lição.

Quanto ao sumiço do dinheiro da Câmara vamos continuar investigando e, em algum momento, vai se chegar a uma conclusão e vamos divulgar, inclusive com fotos. O dinheiro foi dividido em três contas de pessoas jurídicas e uma conta de pessoa física. Devido ao sigilo bancário, ainda não podemos dar nomes, mas assim que a investigação for concluída, vamos mostrar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *