Sumiu dinheiro da conta bancária da Câmara de Primeiro de Maio

No dia 28 de novembro, a conta bancária da Câmara Municipal de Primeiro de Maio teria sido “invadida” e sumiram R$ 355.018,29. Diante dos fatos, a Câmara registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil e iniciou um processo administrativo junto ao Banco do Brasil para reaver o valor subtraído.

Desse total, apenas R$ 153.219,53 foram recuperados, restando ainda mais de 200 mil reais para que o valor retorne integralmente. O vereador Carlinhos Gonçalves Dias entrou com um pedido de providências junto ao Presidente da Casa, Elenilson Espanholo, o popular Pinguinha, solicitando providências para que o valor seja integralmente devolvido.

Nossa reportagem procurou o Delegado de Polícia Civil, Dr. Damião Benassi Júnior, que também responde por Primeiro de Maio. Segundo ele, “a conta possui duas chaves eletrônicas. Um dia antes, o contador teria recebido uma ligação solicitando que fizesse a atualização do QR Code. Já foram ouvidos o contador da Câmara e um representante do Banco do Brasil. O banco abriu um procedimento interno que se encontra sob sigilo bancário. O valor que foi estornado aparece no extrato como “estorno por fraude”. O Banco do Brasil teria bloqueado a tempo a parte que foi devolvida. A polícia já possui suspeitos e estamos investigando. Os destinatários que receberam a transferência vão ter que se explicar. São três contas pessoas físicas e uma conta pessoa jurídica. Esse tipo de transação deixa rastros e vamos chegar”, disse o delegado.

Não é a primeira vez que “some” algo da Câmara de Primeiro de Maio. Meses atrás, também antes do final do ano, o veículo da Câmara teria sido furtado em Londrina, logo após os vereadores retornarem de uma viagem à Curitiba. Segundo informações não oficiais, os vereadores teriam sido trazidos à Primeiro de Maio e o motorista retornou para Londrina. Estacionou o carro na rua e, no dia seguinte, o carro havia sido furtado. Dias depois, o carro foi recuperado no Mato Grosso do Sul, mas ainda não teria sido devolvido. Nesse caso, o Dr. Damião não pode dar maiores informações pois a investigação ficou a cargo de Londrina, que foi a cidade onde ocorreu o furto. “Nesse caso, como o Boletim de Ocorrências foi aberto em Londrina, a Delegacia de Primeiro de Maio nada sabe”. Somente após a conclusão do inquérito, as informações serão disponibilizadas no sistema informatizado da Polícia Civil do Paraná”, explicou. Vamos continuar investigando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *