Super prédio da Câmara de Sertanópolis volta a ser construído

O super, gigantesco e nababesco prédio da Câmara Municipal de Sertanópolis teve as obras retomadas. Depois de ser suspenso por uma liminar impetrada pela vereadora Soraya Santa Rosa que também assinou o projeto para construção do mega prédio, o Presidente da Câmara, José Rogério dos Santos conseguiu derrubar a liminar e a obra foi retomada.

Vale lembrar que todos os vereadores assinaram favoráveis à construção do hiper e enorme novo prédio da Câmara, localizado a quilômetros de distância do centro da cidade. Com projeto de arquitetura feito por um escritório de Primeiro de Maio, o prédio possui mais de 1.000 m2, ocupa seis datas do Residencial Alto das Palmeiras, entre as ruas Luiz Bersanete e Yolando Camargo, tem dezenas de salas e mais de 230 lugares no plenário.

O prédio terá, entre elas, uma sala destinada somente para arquivo. Uma sala para o Secretário Geral, sala de reunião, sala da assessoria, contabilidade (nem contador tem), informática, sala para protocolo (absurdo), sala da presidência e mais nove salas, totalizando 10 salas, com a da presidência. Portanto, terá 10 salas para 9 vereadores. Não bastasse, ainda terá recepção, museu, biblioteca, sala para imprensa, estacionamento com 14 vagas para funcionários e vereadores, em local separado do público, que terá direito a apenas 12 vagas.

A quantidade de banheiros chama a atenção: Serão 12 banheiros, mais de um para cada vereador. O prédio terá um gasto enorme com sua manutenção. Devido a localização, terá obrigatoriamente um vigia 24 horas por dia, monitoramento eletrônico e demais aparatos tecnológicos de segurança. Os móveis para encher todas essas salas custarão uma pequena fortuna. Tudo com dinheiro do contribuinte.

Vale lembrar que a Câmara Municipal de Sertanópolis tem apenas uma sessão ordinária por semana, com duração em torno de uma hora. Isso significa que o custo para o contribuinte será altíssimo. Os vereadores reclamam do baixo acesso do público às sessões. Com um prédio construído distante do centro, com certeza a presença será ainda menor. Raramente, quando houver um projeto polêmico, pode ter um maior fluxo de presença. Porém, como os vereadores votam apenas amenidades, aceitam tudo que o Executivo envia, sem discutir e sem debater, não pedem vistas, a oposição é apática, não fazem consultas populares, o mega, super, ultra, enorme, gigantesco, faraônico, nababesco, vultuoso, fabuloso, imponente, descomunal, colossal, titânico, monumental prédio da Câmara é um sonho do atual Presidente da Câmara, José Rogerio, que propôs a construção. Porém nessa empreitada, Rogerinho não está só. Junto com ele, assinaram favoráveis ao projeto todos os vereadores. Isso mesmo, todos. São eles: Wagner, Soraya Santa Rosa, Glauco Ghislere, Pastor Antônio, Guilherme Hoffmann, Katuaba, Ana Ruth e Leila Pissinati. O projeto foi aprovado por unanimidade.

Antes de votar, converse com o seu candidato e pergunte qual a sua posição sobre este vultuoso gasto com um prédio que será subutilizado.

Um novo prédio é necessário, mas poderia ser algo mais modesto e com melhor localização.

Distante do centro, o novo prédio irá custar cerca de 1,5 milhão aos cofres públicos. Câmara faz reunião apenas uma vez por semana e os vereadores não dão expediente. Durante os demais dias, todos exercem outras funções.
Não bastasse o alto custo da obra, na última tempestade, o depósito de materiais foi danificado e os produtos ficaram esparramados pelo chão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *