Separação de lixo dará prêmios em Jaguapitã

O município de Jaguapitã deu início a um novo e ousado projeto ambiental. É a campanha Coleta Premiada. A ideia é incentivar a população ao hábito de realizar a separação prévia do lixo orgânico e do lixo reciclado. Com a melhoria da qualidade do serviço de coleta, algumas irregularidades seriam minimizadas, como, por exemplo, o aumento do tempo de vida útil do atual lixão, que será, em breve, desativado.

Segundo o Prefeito Gerson Marcato, “o primeiro objetivo dessa campanha é o lado humano. Dar dignidade de vida aos catadores de recicláveis. Hoje muitos vivem no lixão, um local desumano e de alto risco. Como iremos desativar o antigo lixão, precisávamos iniciar um trabalho para manter esse pessoal. O segundo ponto é reduzir a quantidade de lixo enviado para o lixão, aproveitando ao máximo o material reciclável”, ponderou.

A campanha Coleta Premiada é uma parceria entre a Prefeitura Municipal, a Ascamar – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis e a Associação Comercial de Jaguapitã, através do Presidente da entidade, Cristiano Fernandes. A cada quinze dias serão sorteados brindes. O caminhão de recicláveis irá passar pelos bairros e o material será levado até a associação. O primeiro brinde já está definido: Será sorteado um relógio para as pessoas que separarem o lixo reciclável.

O lixão de Jaguapitã deveria ser um aterro sanitário, mas por falta de controle acabou se transformando num lixão a céu aberto, que recebe o material orgânico, misturado com o material que poderia ser reciclado. A Promotora de Justiça, Amanda Ribeiro dos Santos abriu uma ação civil pública no início de 2020, para que o município procedesse melhorias no local. Infelizmente, a gestão anterior não atendeu ao pedido da Promotoria.

Agora o local será finalizado. A prefeitura irá criar uma central de transbordo, onde uma empresa encaminhará o lixo para um aterro sanitário adequado. A Secretária do Meio Ambiente, Fernanda Giorgetti pretende dar início ao transbordo o mais rápido possível. Segundo ela, “assim que houver um aumento significativo de material reciclável separado pela população, vamos encerrar o lixão. Essas famílias não podem viver naquele local. É desumano, degradante. Queremos valorizar esses garimpeiros e já estamos fornecendo uma cesta básica, através da Assistência Social para cada família. O Coleta Premiada fará o trabalho de conscientização da população. Estamos estudando a criação de bags (grandes sacos de armazenamento) para facilitar o depósito de materiais recicláveis”, explicou Osmar Boava, da Ascamar criticou as administrações anteriores que não orientavam a respeito da separação de rejeitos e material reciclável. “O caminhão de lixo levava tudo junto e isso desestimulou as pessoas a separarem o material. Hoje competimos com os coletores autônomos e com os garimpeiros do lixão. Antigamente a gente chegava a ter uma renda de um salário mínimo. Hoje, nem isso. Acreditamos que metade do que vai para o lixo poderia ser reciclado”, afirmou.

Prefeito Gerson Marcato e a equipe de coleta seletiva de Jaguapitã.
Gerson e a Secretária do Meio Ambiente, Fernanda Giorgetti se unem para campanha de conscientização no recolhimento do lixo reciclável com entrega de prêmios.
Lixão de Jaguapitã, que já foi alvo de ação do Ministério Público em 2020, agora está ganhando incentivo para minimizar os impactos do descarte irregular.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *