Comerciantes reclamam de obras no centro

Comerciantes de Sertanópolis reclamaram ao Jornal da Cidade com relação as obras que estão sendo realizadas na Rua Pe. Jonas Vaz Santos, no centro comercial da cidade. Nossa reportagem entrou em contato com a Associação Comercial. Segundo a Associação, a Prefeitura informou que o Ministério Público teria solicitado as obras. Diretores da Aces foram até o MP e tiveram o conhecimento que a Prefeitura omitiu a informação correta. Na verdade, o MP “recomendou” providências no sentido de arborizar o centro comercial, a mais de três anos atrás. No final do mandato, a atual gestão do Sr. Aleocídeo Balzanelo, licitou e deu início a uma obra polêmica e repleta de rejeição. Alguns comerciantes, representados pela Associação Comercial são contra o projeto. A atual administração poderia, no mínimo, ter deixado para a próxima prefeita discutir e decidir sobre o assunto. Faltando cerca de 30 dias para encerrar o mandato, o Sr. Aleocídeo iniciou a obra, sem discutir antes com o comércio local.

Os comerciantes assinaram um manifesto sobre as obras. Até o fechamento dessa edição cerca de 37 comerciantes assinaram o abaixo assinado. Segundo Vitor Vieira, Presidente da Aces, “os comerciantes que não concordarem com a intervenção no centro comercial devem reclamar na Associação. Precisamos mostrar união e quantidade de comerciantes que não concordam para mostrar representatividade. A favor ou contra, precisamos saber a opinião de todos para discutirmos o assunto”, afirmou.

No primeiro quarteirão sob a intervenção, houveram muitas reclamações e inclusive sinais de acidentes na primeira semana com os novos obstáculos. Uma reunião realizada na última terça feira (dia 24/11) entre a Associação Comercial e o setor de Engenharia da Prefeitura, foram feitos alguns ajustes, como a realocação das baias onde serão plantadas as árvores. A Aces alegou que haverá a redução das vagas de estacionamento e que o aumento das extensão das calçadas, aumentará o risco da água de chuva adentrar nos estabelecimentos comerciais. A intervenção também irá dificultar a manobra de carros e caminhões nessas áreas. O projeto de arborização é uma iniciativa da Prefeitura Municipal e não foi uma exigência do Ministério Público como foi dito anteriormente. Foram conseguidas algumas vitórias. As baias que ainda não foram construídas serão reduzidas e as obras serão devidamente sinalizadas para evitar acidentes. Também será reforçada a iluminação pública e será respeitada a necessidade dos comerciantes que precisam de vagas para carga e descarga, assim como estacionamentos rotativos para farmácias.

No entanto, o que está feito vai ser finalizado. Não vai demorar muito para aparecer um prefeito e mudar tudo. Muitas baias já foram destruídas nas primeiras semanas.

Segundo o presidente da Associação Comercial, Vitor Vieira, as obras não foram solicitadas pelo Ministério Público. Os comerciantes que se sentirem prejudicados devem fazer suas manifestações junto à diretoria. A obra irá afetar cerca de 30% das vagas de estacionamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *